Um fartote no Museu da Marioneta

Um fartote no Museu da Marioneta

Depois de assistirmos a uma peça de teatro no Museu da Marioneta, aproveitámos que era domingo e fomos visitá-lo gratuitamente (até às 14h).
Apesar de muito pequeno é recheado de informação e detalhes! Demorámos cerca de 45 minutos, com algumas fotos e palhaçadas pelo meio.
Abaixo deixamo-vos alguns momentos demonstrativos do percurso que deu início a toda a exposição permanente, passando pela Ásia, maioritariamente Tailândia e Indonésia; depois pela Europa, África, Brasil e acabando em Portugal, pelos conhecidos Bonecos de Santo Aleixo.
No vídeo seguinte, o Bruno foi levado à força por dois pequenos curiosos a improvisar um teatro de marionetas/fantoches. Aqui fica um excerto do improviso.
Um fartote.
<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/j6bdiXnpAyk" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>
Nunca tínhamos feito nada do género para o público, mas constatamos que a experiência foi muito engraçada. Toda a arte tem o seu engenho e esta, além de engenho, dá uma dor de costas desgraçada. E pés dormentes também.
Moral da história:
É tão fácil fazer crianças felizes e, à mínima piada, riem-se e divertem-se como tão genuínas que são. Atuar para este público mais novo é sempre gratificante mas não deixa de ser exigente, visto que dizem exatamente o que pensam e sem papas na língua.
 
Apesar de conhecermos o conceito nunca vimos um cenário real. O detalhe das esculturas e pintura são realmente impressionantes, que certamente requerem uma paciência de chinês para conseguir montar um cenário de 1m2.
Mas isto era só o início! O Museu disponibiliza ainda um standonde podemos colocar os nossos dotes artísticos em prática.
 
Não resistimos à tentação de nos armar em Wes Andersone, inspirados no filme Isle of Dogs, arriscámos numa produção do intituladoLisbon Tram, em apenas 10 segundos 😅.
Eis o péssimo resultado: 
<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/vVQfvjhP-uU" frameborder="0" allow="accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture" allowfullscreen></iframe>
A dificuldade de executar esta arte é bastante elevada. Para estes míseros 10 segundos demorámos cerca de 5 minutos. Mas atenção, já tínhamos o cenário todo prontinho, com luzes, câmeras fixas, objetos preparados e tudo, tudo..!
Mas nem assim… 🤣🤣
Já agora, sabem quantos frames são precisos para conseguir gravar um “Olá” em modo stop motion?
R: 25! São precisos pelo menos 25 fotos, em sequência, para conseguir transmitir um “Olá”. Portanto, aproximadamente 8 fotos por letra. Por exemplo: para executar oIsle of Dogs foram necessários mais de 144.000 frames!
Depois de sairmos, fizemos o download da App recomendada pelo museu: Stop Motion (ícone azul), para continuarmos a fazer experiências.
Ficámos com vontade de conhecer melhor as culturas onde o uso de máscaras ainda passa por rituais e onde o teatro com uso de máscaras é dono dos palcos.
E mais! Com a pulga atrás da orelha pela eventual possibilidade de aplicar estes adereços no Safarka.
Qui ça.
Museu da Marioneta
Convento das Bernardas
Rua da Esperança, n° 146
1200–660 Lisboa
Telefone: +351 213 942 810
 Fax: +351 213 942 819 
 E-mail: [email protected]
Aberto de terça-feira a domingo 
10h00 às 18h00

Rui Lopes

18.03.2019

museu , museum, teatro

Sugestões/Recomendations